sábado, 11 de agosto de 2012

INTERPRETAÇÃO BÍBLICA - O Véu nos Corações

Considere a passagem:


"E não somos como Moisés, que punha um véu sobre a sua face, para que os filhos de Israel não olhassem firmemente para o fim daquilo que era transitório.
Mas os seus sentidos foram endurecidos; porque até hoje o mesmo véu está por levantar na lição do velho testamento, o qual foi por Cristo abolido;
E até hoje, quando é lido Moisés, o véu está posto sobre o coração deles.
Mas, quando se converterem ao Senhor, então o véu se tirará."
                                                                           2 Coríntios 3:13-17


Tomemos alguns elementos de comparação:

A Glória refletida.
    Nesta passagem o apostolo Paulo faz uma comparação entre nós (todos os crentes do Novo Testamento salvos pelo sangue de Cristo) e Moisés intermediador da Antiga Aliança, entre a glória de Deus no Antigo Testamento e a glória dEle em nós. 

   Aqui mostra que a Glória do Senhor no Antigo Testamento brilhava transitoriamente na face daquele que esteve em sua presença, era um reflexo de algo que estava impregnado na face de Moisés, como certos objetos florescentes que estando em contato com a luz, brilha por um certo tempo após a luz ser tirada. Era um fenômeno físico a partir de algo sobrenatural. 

  Quer dizer que no Antigo Testamento apenas refletia na pessoa que teve contato com Ele. Não somos como moisés, pois na Nova Aliança, o Espírito de Deus foi derramado sobre nós, então a Glória do Todo Poderoso frui de dentro de nós, não é mais um fenômeno físico para não assustar ninguém, mas somente sobrenatural dentro de nós.

O Véu.
    Moisés colocava um véu no rosto, pois a glória refletida em seu rosto incomodava os pecadores, então era colocado o véu para que não vissem a face do intermediador da Lei.
  Significa dizer que eles pela lição do Antigo Testamento não poderiam conhecer o intermediador da Antiga Aliança, quanto mais o Criador.
   Paulo afirma que não somos como Moisés, pois a Glória de Deus manifestada em nós é discernida espiritualmente e mostra a revelação de Deus em nós. A mensagem é passada conduzindo o pecador ao intermediador da Nova Aliança (Jesus).
   Paulo afirma ainda, que ao aprenderem os ritos do Antigo Testamento, o véu se levanta em seus corações, de modo que eles não podem chegar ao pleno conhecimento do Senhor, e só será tirado o véu, se eles se converterem.

Abolido.
   Significa que o ensino das práticas do Antigo Testamento foi abolido, pois existe um novo Mediador de uma Nova Aliança, não de sangue de animais, como ensina o Antigo Testamento, mas pelo sangue do Mediador, Jesus Cristo.
   O Antigo Testamento permanece como referencial, como fonte de conhecimento da origem das dispensações e da simbologia da Nova Aliança, da história do mundo e do conhecimento das obras e das promessas do Senhor.

Marcos André - Professor

Um comentário:

  1. Pastor, gostaria de saber qual a diferença do Reino e do Paraíso...

    quando o ladrão da Cruz disse lembra-te de mim quando entrares no teu reino, Jesus Respondeu, Hoje mesmo estarás comigo no PARAÍSO..existe alguma diferença nisso? ou é só a forma de tradução.. no original é a mesma coisa, reino e paraíso? graça e paz... Eloiza

    ResponderExcluir

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.