INICIE CLICANDO NO NOSSO MENU PRINCIPAL



__________________________________________________________________

segunda-feira, 3 de junho de 2013

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio da Lição 10 - Revista Editora Betel


AULA EM 9 DE JUNHO DE 2013 – LIÇÃO 10
(Revista: EDITORA BETEL)

Tema: “A IMPORTÂNCIA DA CEIA DO SENHOR”
  
Texto Áureo: 1 Coríntios 11.29
  
INTRODUÇÃO
- Professor(a), nesta aula você tem a oportunidade de ensinar sobre uma doutrina importantíssima, é interessante saber se o seu pastor concorda com os pontos que você pretende abordar, só para evitar atritos.
- “verdade inegociável”, muitos crentes negociam a verdade, quando querem que a Bíblia fale algo que lhes traga algum benefício. Alguns tem suas opiniões formadas pela base bíblica, mas quando sentem que isso pode lhes custar certos privilégios então deixam de defender suas causas.
- Depois de lida essa introdução você pode acrescentar o seguinte: muitos fazem as coisas na igreja por terem visto outros fazerem, esse tipo de aprendizado não é bom, por causa disso surgiram muitas tradições erradas. A Bíblia é o nosso manual, no caso da ceia Paulo deixou o formato geral da cerimônia e seu significado, mas somente lendo a Bíblia vamos fazer corretamente.

            1. QUEM PARTICIPA INDIGNAMENTE ESTÁ CRUCIFICANDO JESUS DE NOVO
- “discernindo o corpo”, significa basicamente “entender o que representa o corpo do Senhor no ritual da Santa Ceia”. O perigo está em comer o pão achando que é somente um pão, não atentando na sua representação.  

1.1. Examine-se, pois, o homem a si mesmo.
- “perdemos o temor”, a perda do temor pode ser identificada nesse auto exame que fazemos. Quando notamos que fazemos as coisas sem se importar se agrada ou não a Deus, então estamos perdendo o temor.
- “está cauterizada”, a mente cauterizada é aquela que não aceita mais mudança. Uma terra que recebe, uma certa quantidade de cautério se torna cauterizada, de forma que deixa de produzir ervas, por isso chamamos de mente cauterizada aqueles que se apegam a uma opinião e não aceitam nenhuma sugestão de fora. Tem pessoas que você mostra na Bíblia, mas ela continua firme na sua posição, esse é o estágio mais avançado de cauterização mental.
- “lícito”, ética e moralmente permitido.
- “relativo”, que depende de outros fatores, por exemplo: a pessoa acha que há situações em que a mentira é permitida, isso é relativismo.
- “falta de respeito”, esse tem sido uma grande mal que tem adentrado nas igrejas, não se respeita mais os obreiros, nem a liturgia, pessoas conversando assuntos diversos na hora da ministração, obreiros que atendem o celular na tribuna, e as atitudes erradas o povo imita mais facilmente. É COM TRISTEZA QUE ESCREVO ISSO.

1.2. Se nós nos julgássemos a nós mesmos, não seriamos julgados
- “mas quando somos julgados”, são níveis de julgamento, deveríamos ter julgado a nós mesmos, mas se isso não ocorre, o Senhor entra com o seu julgamento e repreensão. Pois o julgamento de Deus que sofremos hoje nos livrará do julgamento no Juízo Final.
- “sem qualquer temor e acusação”, às vezes alguém pensa que para participar da Santa Ceia deve estar em estado de pureza total, esse é um pensamento equivocado. Sabemos que somos pecadores e que erramos sempre a recomendação do Senhor é que nos examinemos e nos corrijamos para poder participar.

1.3. Quem confessa alcança misericórdia
- “nunca prosperará”, a parte “b” desse versículo nos leva a entender que está se referindo a uma prosperidade espiritual, então deve ser entendido assim: “nunca será bem sucedido espiritualmente”. Muitos dos que estão recusando cargos, se negando a fazer algo, ou de assumir uma posição de maior compromisso, podem estar encobrindo pecado. ISSO É UMA TEORIA.
- “confessar a transgressão”, deve ser considerado o seguinte: se a transgressão foi contra Deus, no pensamento, deve-se confessar e pedir perdão somente a Deus; se a transgressão foi contra o conjugue, deve-se confessar e pedir perdão ao conjugue; e se a transgressão foi contra a igreja, então de ser confessada diante da igreja.
- “viver mascarado”, o pecado que deve ser confessado é aquele encoberto e não aquele do qual a pessoa já se concertou com Deus.
- Esse esclarecimento é para evitar que as pessoas se exponham demasiadamente sem necessidade.
________________________________________
2. QUEM PARTICIPA INDIGNAMENTE SE EQUIPARA A JUDAS, PILATOS E CAIFÁS
- “estes homens fizeram”, se refere aos apóstolos e pais da Igreja que admitiam serem pecadores.  
- Muitos líderes se apresentam como “super homem” espirituais, nunca admitem falha alguma, parece que nunca leu as cartas de Paulo ou pulou as partes em que ele confessa ser um pecador.

2.1. Só jogar as moedas fora, não adianta, não tira o pecado
- “ou se enforcar”, o ato de Judas demonstra que ele perdeu a esperança e que achava que não havia perdão para o seu erro. Andou com Jesus mas atentou nas palavras Dele sobre perdão. Assim muitos crentes que erram, ocultam seu pecado e preferem sair da igreja, por acharem que não tem mais jeito.

2.2. Só lavar as mãos não adianta não se inocenta
- O erro de Pilatos foi o da omissão, achou que estava livre por ter sido o Povo que decidiu. Ensine isso, se estiver em seu poder o corrigir uma situação errada e você não o faz, então você pecou pela omissão e cada justificativa nesse sentido será apenas uma tentativa de lavar as mãos.

2.3. Só rasgar as vestes não adianta, não tira a culpa
- NA VERDADE A REFERÊNCIA DE MT 26.57 NÃO TEM MUITO A VER COM O ASSUNTO PROPOSTO.  
- Você pode comentar o seguinte: existem pessoas que apontam o erro de todo mundo, para esconder os seus próprios erros, tentando desviar a atenção.   
____________________________________
3. QUEM PARTICIPA INDIGNAMENTE TRAZ CONSEQUÊNCIAS PARA SI MESMO
- “participar indignamente”, significa participar sem entender o que representa o corpo e o sangue do Senhor, achando que está comendo pão e bebendo suco, sem concentrar no simbolismo.
- Uma outra forma de participar indignamente é mantendo o pecado oculto.
- “a porta do perdão”, antes de participar da Santa Ceia a pessoa que verificou a existência de pecado oculto, deve buscar se concertar com sinceridade e nunca deixar de participar.   

3.1. Fica sujeito ao juízo e condenação
- “em teu nome”, aqueles que naquele dia disserem essas palavras ao Senhor Jesus, são os que hoje alcançaram o mais alto grau de cauterização mental, cometem seus pecados ocultos e acham que estão certos, e naquele dia irão cobrar isso do Senhor.
- “nos corrigir antes”, ou então sermos repreendidos pelo Senhor. Qualquer uma das duas opções, é melhor do que ser condenado com o mundo.

3.2. Fica fraco doente e precisa de UTI espiritual
- “enfermos espiritualmente”, não está dizendo morto espiritualmente, mas sim enfermo, precisam ser tratados. O problema é que muitos não sabem que estão nessa situação e outros ao saberem, recusam o tratamento de Deus.
- “não sentem mais nada”, esse é um sintoma dessa enfermidade espiritual, alguns irmãos se tornaram insensíveis com coisas que sensibilizam a Deus.
- “não arde mais”, A Palavra de Deus arde no coração daqueles que amam as suas verdades profundas. Se a pessoa ouve a ministração das Escrituras como se estivesse ouvindo alguma palestra qualquer ele até se alegrará com algumas partes interessantes, mas aquilo não lhe tocará o coração.
- “nem estão indo mais aos cultos”, esses enfermos chegaram a faze terminal, precisam urgente de tratamento intensivo, acompanhamento em visitas e oração.

3.3. Dorme espiritualmente
- Apresente esse tópico como a consequência do ato de encobrir o pecado e permanecer tomando a Ceia indignamente.
 - “dormindo espiritualmente”, são os que estão mortos espiritualmente, que se comportam como mortos. O que morre espiritualmente é o que se conformou com o pecado, que o aceitou e que não o deixa mais. Alguns permanecem na Casa de Deus se esforçando para não serem descobertos.
- Com o passar do tempo os crentes criaram o costume de pedir perdão diante da congregação antes de participar. O problema é que essa prática se tornou banal, e muitos irmãos já não fazem de coração.
___________________________
CONCLUSÃO
- “com irreverência”, sem respeito ao seu significado, cada vez que participamos desse ritual estamos testemunhando da obra que o Senhor fez na cruz.
- “comunhão com os irmãos”, a santa ceia também serve para ressaltar a nossa comunhão uns com os outros debaixo do sangue de Jesus. Alguns desenvolveram o costume de trocar o cálice entre os irmãos antes de tomá-lo.
- Muitas igrejas costumam realizar a Santa Ceia no primeiro domingo de cada mês, sugiro que você convide os para orarem e confessarem a Deus os seus pecados.

Boa aula!

Marcos André – professor





5 comentários:

  1. Paz do Senhor Marcos André

    Lição muito importante, hoje muitos não dão o respeito devido à essa ordenança que Jesus nos deixou, alguns tomam sem se quer saber o real significado.
    Temos que estar sempre orando para que o arrependimento sempre esteja em nosso coração,pois todos pecamos, mas a misericórdia de Deus é infinita, se confessarmos e deixarmos nosso erros

    Vou ministrar esta aula, pela misericórdia de Deus. Que Deus abençoe a cada professor e que cada aluno possa ter um crescimento espiritual, neste assunto tão importante.

    Paz,
    Maicon

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade irmão Maicon, espero que os professores tenham essa visão tua, o grande problema está exatamente em não entender o significado da Santa Ceia. Deus te abençoe e espero que todos na sua classe possam entender os elementos da Santa Ceia do Senhor.
      Paz.

      Excluir
    2. Irmão a troca dos cálices na Santa Ceia entre os irmãos é coisa nova que tem surgido nomeio do povo de Deus. a Santa Ceia é uma doutrina e, não se pode acrescentar costumes em doutrinas. Quando as pessoas trocam os cálices com os irmãos elas se esquecem do verdadeiro significado da Santa Ceia. Permitir que haja na igreja troca dos cálices entre os irmãos é o mesmo que permitir que qualquer pessoa da igreja sirva a Santa Ceia. Esta prática não pode ser imitada. Seria o mesmo que profanar o sentido da Santa Ceia. pois não ha na Bíblia nenhum indício de que as pessoas trocassem os cálices como simbolo de comunhão, pois a comunhão já está implícita na própria realização da Ceia, é que nos mostra 1Co. 10:14.... E ainda amado, precisamos refletir no seguinte, se as pessoas já não tem reverência pela celebração da Santa Ceia, imagine como elas ficam mais ainda sem reverência com essa falsa sensação de dever cumprido ou mesmo de falsa comunhão que a troca dos cálices pode produzir, visto que as pessoas muitas vezes sem comunhão ficam trocando os cálices como se tivessem, e o que tem comunhão participando junto deste desvirtuamento do sentido da Santa Ceia. Portanto basta o que está escrito em 1Co 11:23... a respeito da Santa Ceia, ou seja a Santa Escritura basta, para a celebração, pois não se pode acrescentar costumes a uma Doutrina tão forte como a Santa Ceia, uma Ordenança. A Paz a todos, portanto vigiemos meus irmãos, vamos zelar pela Sã Doutrina.

      Excluir
    3. A paz do Senhor meu irmão, suponho que a maioria dos pastores não vem como um problema para o entendimento do significado dos elementos da Santa a troca dos cálices, pois o partir do pão também não é semelhante ao que Jesus fez, que também não era semelhante ao que se praticava na comunidade dos santos em Jerusalém e que por sua vez não era semelhante aos que se fazia na igreja de Corinto. Paulo busca corrigir os problemas do significado dos elementos da Santa Ceia na sua carta à igreja de Corinto, o apóstolo se concentra somente em apontar os elementos para o corpo e o sangue do Senhor, sem se importar com a forma como ele era servido.
      Alguns condenaria o uso do suco de uva, achando que deveríamos usar o vinho autentico. Na verdade aquele que ministra deve apontar os elementos para o corpo e o sangue do Senhor, como fez Paulo, lembrando que comer indignamente é não discernir esse significado.
      Eu particularmente não vejo problema trocar o cálice acrescentando o fato de estarmos em comunhão, já que a comunhão é tão importante para Deus.

      Paz de Jesus.

      Pr Marcos André - Editor

      Excluir
  2. Paulo. Irmão a troca dos cálices na Santa Ceia entre os irmãos é coisa nova que tem surgido nomeio do povo de Deus. a Santa Ceia é uma doutrina e, não se pode acrescentar costumes em doutrinas. Quando as pessoas trocam os cálices com os irmãos elas se esquecem do verdadeiro significado da Santa Ceia. Permitir que haja na igreja troca dos cálices entre os irmãos é o mesmo que permitir que qualquer pessoa da igreja sirva a Santa Ceia. Esta prática não pode ser imitada. Seria o mesmo que profanar o sentido da Santa Ceia. pois não ha na Bíblia nenhum indício de que as pessoas trocassem os cálices como simbolo de comunhão, pois a comunhão já está implícita na própria realização da Ceia, é que nos mostra 1Co. 10:14.... E ainda amado, precisamos refletir no seguinte, se as pessoas já não tem reverência pela celebração da Santa Ceia, imagine como elas ficam mais ainda sem reverência com essa falsa sensação de dever cumprido ou mesmo de falsa comunhão que a troca dos cálices pode produzir, visto que as pessoas muitas vezes sem comunhão ficam trocando os cálices como se tivessem, e o que tem comunhão participando junto deste desvirtuamento do sentido da Santa Ceia. Portanto basta o que está escrito em 1Co 11:23... a respeito da Santa Ceia, ou seja a Santa Escritura basta, para a celebração, pois não se pode acrescentar costumes a uma Doutrina tão forte como a Santa Ceia, uma Ordenança. A Paz a todos, portanto vigiemos meus irmãos, vamos zelar pela Sã Doutrina.

    ResponderExcluir

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.